Oliver é um menininho lindo que, aos 2 anos de idade, começou a apresentar sintomas característicos de autismo. Depois de MUITA pesquisa descobri que o fator que MAIS contribuiu para o aparecimento dos sintomas que o meu filho apresenta hoje - entre outros - é a toxicidade das VACINAS, leia aqui. Felizmente, também descobri a ajuda maravilhosa que a HOMEOPATIA pode proporcionar, leia aqui. Seguindo o exemplo de muitas outras crianças que estão se recuperando todos os dias no mundo, vamos começar esta viagem com a desintoxicação das vacinas através da terapia CEASE, conheça clicando aqui. Essa viagem vai ser longa, mas temos muita fé que um dia chegaremos no nosso destino: a RECUPERAÇÃO TOTAL. Comece lendo o primeiro post: O começo da nossa viagem aqui.

domingo, 24 de junho de 2018

Desintoxicação da medicação tomada durante o parto!

Queridos amig@s papais e mamães lutadores e cheios de amor deste Brasil,

A vida anda muita corrida, e o tempo passa tão rápido, a gente mal percebe. Se esta é a primeira vez que você chegou neste blog, eu sou a Julie, mãe do Oliver de 8 anos e meio, que aos 2 foi diagnosticado no espectro de autismo nivel médio. Ele só falou aos 4 anos de idade e venho, junto com o papai dele, lutando muito há mais de 6 anos para tentar propiciar ao meu loirinho uma vida plena, com saúde, da qual ele possa desfrutar e ser feliz.

Perdão se sou repetitiva, mas a minha jornada destes 6 anos me mostraram que os sintomas do espectro do autismo, embora diferentes de criança para criança, são fruto da mesma doença - sim, chamarei de doença - ou melhor, deste mau funcionamento do sistema imunológico, que é o que causa os sintomas, que é o que impede que a criança aprenda porque ela não consegue prestar atenção e aprender.

E o mais importante, ela não tem capacidade de se manifestar da forma como nos manifestamos, mas isto não quer dizer que ela não entenda o que se passa ao seu redor. Essa é talvez, uma das grandes dificuldades e grandes fontes de frustração da criança que sofre dos sintomas de autismo.

Eu poderia estar aqui dizendo a você, pai e mãe, que a criança que você tem em casa é autista e por isso, é um ANJO, um anjo vindo direto de Deus. Mas eu vou dizer algo diferente. Eu vou dizer que esta crianca é sim, um ANJO, porque todas as crianças são anjos.

A criança com sintomas do espectro do autismo é um anjinho como todos os outros, só que um anjinho sofrido, que tem um sistema imunológico totalmente desorientado e um intestino cheio de furinhos (intestino permeável) que permite que para sua corrente sanguínea va muito mais do que deveria, de tudo o que ela come.

Em termos bem simples, a corrente sanguinea por sua vez, leva para o cérebro muito mais do que o cérebro é capaz de receber. O que temos é um organismo desregulado, com dificuldade de se desenvolver na sua plenitude. As suas funções sensoriais, as vezes também as motoras, ficam comprometidas,  a sua atenção reduzida.

O pai sensivel sabe e entende: o que a crianca não é capaz de fazer neste momento da sua vida, ela não faz porque NUNCA aprendeu como fazer, porque nunca conseguiu prestar atenção direito. Nao obteve os tijolinhos necessários para construir a fala como acontece de forma tao automática com todas as outras crianças. Nao percebeu quando mamãe e papai ficaram bravos, os olhares de reprovação, ou os olhares de aprovação e alegria que inspiram e contribuem para a formação do seu comportamento. As crianças nascem e o seu cérebro 'e um papel em branco, que vai se preenchendo de aprendizado em função das reações da sua família ao que faz, a cada passo, a cada vez que toca onde não deve, a cada sorriso. Se a criança não presta atenção, ele não tem como aprender como se comportar, o que deve dizer e fazer socialmente, quando olhar nos olhos, quando sorrir, quando ter vergonha, quando não ser importuno. Esta criança não aprendeu.

Mas... Ela tem capacidade de aprender? MEUS AMIGOS, SE A DOENCA DA QUAL ESTA CRIANCA SOFRE É CURADA, EU NAO TENHO DUVIDA DE QUE ESTA CRIANÇA TEM A CAPACIDADE DE APRENDER TUDO  O QUE PESSOAS DISPOSTAS E AMOROSAS QUEIRAM E SEJAM CAPAZES DE ENSINA-LA, PODE ACREDITAR.

Quem disser a você que esta criança nunca vai deixar de ser autista, diz isso a você por vários motivos. Pode ser que ela não tenha o conhecimento devido do assunto, e fala de algo que não sabe. Pode ser que ela tenha muito boa vontade de te ajudar e tenha estudado muito para isso, mas tudo o que ela aprendeu na faculdade produz muito pouco resultado a não ser lucrar com a falta de saúde do seu filho. Os grandes laboratórios farmacêuticos, por ex., lucram com a falta de saúde do seu filho. Porque, como alguém disse por aí, esta frase tão bela cujo autor eu não me lembro ( que não é de minha autoria)  A SAÚDE NÃO TRAZ LUCRO PRA NINGUÉM.

E agora, curar a doença pra so depois tentar ensinar o que não aprendeu... Vai ser fácil? Não, não vai. Para quem espera resultados em um mes, dois, tres, eu digo que infelizmente, consertar esta maquininha maravilhosa que esta meio defeituosinha, vai demorar. Vai causar muitas lagrimas, desespero, aprendizado, humildade, amor, compaixão. De repente, as melhoras são tao maravilhosas que parecem um milagre, dai ha recaídas, e voce diz pra Deus "Por favor, Senhor, eu não tenho mais forcas para continuar!" Mas Ele esta la para nos dar estas lições da vida, e vai mostrar, para todo o crente em Deus, que mais uma vez, se pedindo, o caminho se abre, as respostas aparecem.

Em outros posts do blog eu explico muita coisa, mas aqui repetirei: não se constrói uma casa com tijolo de isopor. A alimentação 'e a fundação desta melhora gradual, e ela não vira, so na base da homeopatia, embora a homeopatia seja um presente de Deus e ajude muito.

O autismo veio para nos dar lições. Se a família não aprender a lição de que ao corpo somente se lhe da o que ha de melhor, sem agrotoxicos, sem alimentos industrializados, pouquissima farinha refinada (mesmo sem gluten), pouquíssimo açúcar... se a família não aprender e não mudar, a maquininha não vai consertar nunca. Voce retirou o gluten, retirou o leite, isso ajuda. Mas ainda 'e pouco comparado ao que se tem quer fazer. E se voce quer saber o que precisa fazer, e como fazer, não quebre a cabeça, de um google em Pat Feldman e Alexandre Feldman, siga-os no Instagram, leia e implemente tudo o que eles dizem, porque eles ensinam uma alimentação inteira, como as tradicionais, destas dos nossos avos, destas que trazem saude.

A terapia CEASE e a homeopatia foram algumas das descobertas mais maravilhosas que o meu filho nos ensinou. Esta terapia visa corrigir - ainda que de uma forma que ninguém saiba explicar - todo o mal que determinadas substancias toxicas - que jamais deveriam terem sigo ingeridas ou injetadas neste universo perfeito que 'e o corpo humano - causaram.

É claro que é dificil de acreditar. É claro que o seu medico, seus familiares, vao dizer a voce que é balela. Eles também vão dizer que a questão da alimentação 'e balela, porque os medicos, por exemplo, não aprendem nada de nutrição na faculdade e tem pouquíssimo ou nenhum, conhecimento dos seus efeitos. 'Pense bem, 'e bom senso: dar ao corpo o melhor combustível so pode fazer com que ele se desenvolva, não 'e verdade?

Lembre-se que ao tentar a terapia CEASE, ao dar esta chance para esta crianca que voce ama, voce não estará causando nela nenhum efeito colateral, nenhum (AO CONTRARIO DOS REMEDIOS ALOPATICOS, leia a bula). Que é o mesmo que dizer: voce não vai perder nada (alem do dinheiro do tratamento, obviamente, mas que pode vir a trazer.. muita surpresa boa).

Enfim. Hoje eu falei demais (um pouco por conta das perguntas que pais me fazem por email). Entao eu terminarei este post de hoje com mais noticias boas para os ouvidos dos céticos.

Ha dois meses começamos a detox dos medicamentos que tomei durante o parto, que os homeopatas de CEASE manipulam com o nome de poli-labour meds (labour meds = medicação de parto em inglês). O Oliver tomou 30C, 200C, 1M e 10M, duas semanas cada potência.

Antes de comecarmos, a fala estava presente mas era como se o Oliver não tivesse muito interesse em responder perguntas. Ainda tinhamos dificuldades de ter boas conversas, de trocar informações.

Não tivemos grandes reações. Mas uma das maiores surpresas durante a semana do 200C foram as perguntas incessantes sobre o parto (ele não tem a menor ideia que esta tomando homeopatia para desintoxicar a medicação do parto, eu dou a bolinha, ele nem pergunta para que 'e, quando pergunta eu digo que 'e para não ficar resfriado). Inacreditável, não? Jamais tinhamos falado disso, ou ele me perguntado. Mas ai as perguntas comecaram a transbordar... como foi o parto mae? Mas como eu nasci? Por onde eu nasci? Eu era pequeno? O que eu falei quando eu nasci? O que voce sentiu quando me viu?

Desde então, eu falo muito do parto. Ja mostrei todas as fotos. Eu percebi a desconexão que tivemos durante aquele momento. Esta comunicacao inexplicável que acontece entre mae e bebe, conosco, claramente, foi incompleta. Daquela experiência, não restou na alma do meu filho, a plenitude do meu sentimento. Não restou na alminha dele, a certeza de que vinha ao mundo e de que era amado, imensamente amado. Muito provavelmente toda a medicacao que me deram (eu não dilatava, tomei oxitocina, entre outros, mas tive parto normal) afetaram a compreensão sensorial e sensitiva dele daquele momento tao especial, tao pleno.

Esta detox foi uma experiência linda neste sentido. Eu tive oportunidade de mostrar para ele, entre beijos, abraços e com a frase que foi dita, muitas vezes, "não existe nenhum pai, nem mae, neste mundo, mais felizes do que nos quando te vimos pela primeira vez", ou " eu te amei desde que voce era deste tamanhinho na minha barriga".

E desde então, ele passou a perguntar, como se quisesse resgatar de uma vez, ou consolidar, este laço: "...'e verdade que voce e o papai foram os pais mais felizes do mundo, que não existe pais mais felizes que vocês quando vocês me viram?"

E com a melhora gradual da fala nestes dois meses, muito mais perguntas, muito mais interesse em conversar, respostas muito mais elaboradas, muito mais atenção (em comparação ao que tinha antes), o que eu posso responder a ele?

...SIM, FILHO, NAO EXISTE NENHUM PAPAI... NENHUMA MAMAE NESTE MUNDO IN-TE-IRO, MAIS FELIZES DO QUE NOS! 

E com amor, perseveranca, fé e os tijolinhos certos, um dia, um dia, a gente chega la. Você chega la!

Não devemos esmorecer, jamais.

Com carinho e votos de progresso a todos,

Julie

PS. Também acho que muito da melhora seja fruto da segunda sessão de microfisioterapia que fizemos em fevereiro :) ate difícil dizer o que ajudou mais!








4 comentários:

  1. Deus seja louvado. Gratidão por compartilhar.

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo...que relato maravilhoso...nos dá esperança que os pequenos irão vencer.
    Muita saúde e amor para vocè e sua família.

    ResponderExcluir
  3. Nossa...um arrependimento que tive foi da anestesia raqui e ocitocina sem necessidade (não precisava, esta com 9 cm de dilatação e praticamente sem dor). Agora estamos na 2º semana da Cease, tentado consertar esses estragos! Deus permita que tenhamos bons resultados como vcs tiveram.
    obs: Filho de 2,6 anos.

    Estou lendo tudo, JUlie! Que bom encontrar alguém com os mesmos pensamentos. Gratidão.

    ResponderExcluir
  4. CRISTIANE FERREIRA SANTA ROZA25 de junho de 2018 09:37

    Julie que relato lindo! Que esperança seus posts me dão. E que felicidade por ver a evolução de Oliver, nem posso acreditar que ele já tem 8 anos...

    ResponderExcluir

Comentarios sao muito bem-vindos!! Eu quero muito divulgar tudo o que estou aprendendo desde que comecei o tratamento do meu filho. A minha intenção é ajudar as mães que não falam inglês. Deixe seu comentario ou me escreva diretamente: autismosuperado@hotmail.com